2021-04-26

Luís Osório revela histórias nunca contadas da política e da sociedade portuguesas.

«Ficheiros Secretos» é publicado pela Contraponto a 6 de maio e inclui episódios desconhecidos de figuras como Soares, Cunhal, Cavaco, Guterres, Eanes, Sampaio, Freitas do Amaral, Saramago, Lobo Antunes, Amália, entre muitos outros.

Partilhar:

A Contraponto publica no dia 6 de maio o livro Ficheiros Secretos – Histórias Nunca Contadas da Política e da Sociedade Portuguesas, do jornalista e escritor Luís Osório, que recupera ficheiros de grandes figuras que pertenciam à categoria do que nunca se soube e desvenda acontecimentos guardados no fundo do baú do que estava por contar.

Ficheiros Secretos é uma excelente forma de definir o país que somos – um Portugal feito de personagens, desencontros e paradoxos. O livro está recheado de histórias muito interessantes e até agora desconhecidas, e que abarcam personalidades da política, como Mário Soares, Álvaro Cunhal, Cavaco Silva, António Guterres, Ramalho Eanes, Jorge Sampaio ou Freitas do Amaral, e muitas das grandes figuras da cultura e da sociedade portuguesas, como José Saramago, António Lobo Antunes e Amália Rodrigues, entre outras.

Este livro de Luís Osório permite conhecer o último encontro entre Cunhal e Soares antes do 25 de Abril – o que discutiram e o que ficou acordado. A história nunca contada do ataque que estava planeado às sedes do PCP se Freitas do Amaral tivesse vencido as presidenciais de 86. Que Maria Barroso votou contra a fundação do PS. Ou que Alberto João Jardim cantou para Salazar. E que o homem que Vasco Gonçalves mais amou era um salazarista fanático. Conhecer o sobrinho do ditador que vive casto em memória do tio e as mulheres que no Vimieiro se lembram de lhe lavar os pés. Ficar a saber o que se passou no dia em que Pinto Balsemão esperou por Isabel do Carmo com uma pistola em cima da mesa.

A leitura de Ficheiros Secretos explica como a morte do pequeno Chico, irmão de José Saramago, determinou a vida do escritor. Ou como a morte do amor da vida de Siza Vieira lhe definiu o destino. Saber como foi o dia em que o pai de Manoel de Oliveira, no leito da morte, quis que ele conhecesse dois irmãos de uma relação bastarda. Conhecer a solidão de Amália Rodrigues e ficar a saber que, ao contrário do que se dizia, detestava vinho. Reviver a noite em que Fernando Carvalho Rodrigues se fez passar por Pavarotti. E conhecer a extraordinária história do último leproso português e da tenebrosa leprosaria construída pelo Estado Novo.

Sabia que

  • Pacheco Pereira esteve na clandestinidade depois do 25 de abril? E que não hesitaria em matar em nome da liberdade?
  • Durão Barroso roubou toda a mobília da Faculdade de Direito de Lisboa e foi obrigado a devolvê-la por Arnaldo Matos?
  • Cavaco convidou Catroga para ministro das Finanças vários meses antes de «despedir» Braga de Macedo?
  • Ramalho Eanes quis formar um governo secreto após a queda de Balsemão?
  • Santana Lopes fez um convite a Eduardo Catroga para ser seu ministro das Finanças? Um convite que teve de retirar no mesmo dia.
  • Na turma de liceu de Francisco Louçã os colegas tentaram «corrompe-lo» para que ele dissesse merda? E que Santana Lopes estava entre os que lhe fizeram a proposta?
  • Soares quis que um padre fosse fundador do Partido Socialista?
  • A morte dos pais definiu o destino de Eduardo Lourenço?
  • Eugénio de Andrade desprezava profundamente o pai por este o ter abandonado? E sabe quem foi o sei grande amor?
  • É outra a verdadeira história da fundação do CDS? E sabe qual foi o maior erro político da vida de Freitas do Amaral?
  • Vasco Pulido Valente andou ao colo de Mário Soares – e foi a única amizade que nunca lhe falhou.
  • Todos os natais Edmundo Pedro abria a porta de sua casa ao PIDE que o apanhou?

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK