De Quase Nada a Quase Rei

Formatos disponíveis
22,20€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
22,20€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Envio até 4 dias
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

A mais completa e rigorosa abordagem à vida e obra de uma das figuras mais carismáticas e controversas da História de Portugal.

Quem foi Sebastião José de Carvalho e Melo até alcançar o poder total? E o que fez depois - e efetivamente - com esse poder?

Com base numa exaustiva pesquisa e na leitura rigorosa das cartas escritas e recebidas por Sebastião José de Carvalho e Melo, Pedro Sena-Lino apresenta-nos o biografado através da voz do próprio. Assente em provas documentais, e apenas se permitindo uma via dedutiva quando os testemunhos se mostram menos abundantes, este livro demonstra como a relação de um líder consigo mesmo pode ter transformado medos próprios em fantasmas nacionais, muitos deles ainda presentes e atuantes nos dias de hoje.

Esta biografia dá conta da misteriosa forma como, no início da sua vida pública, aquele que viria a ser conhecido como Marquês de Pombal vê conjugar-se um improvável conjunto de fatores que permitem a um lavrador forçado a nascer de socalcos e xisto, a um homem sem experiência relevante, uma impressionante escalada social e política, da Real Academia das Ciências, passando pelas embaixadas em Londres e Viena, até chegar à liderança do governo da nação.

Em De Quase Nada a Quase Rei, conhece-se um homem que, dono de uma psique sedenta de vingança, triunfou ferindo. Sebastião José é o nome do político que reformou a educação, o sistema fiscal e a Lisboa pós-terramoto, mas também do homem que, tendo escapado a uma tentativa de assassinato, a transformou num atentado à vida do próprio rei e se vingou nos Távoras e dizimou os jesuítas. Um belo e rigoroso estudo dos subterrâneos da alma humana, um retrato da ambição, do ressentimento, da frieza, do calculismo e de outras características que enformam os grandes ditadores.

«Este livro de Pedro Sena-Lino que o leitor tem entre mãos é a biografia de Pombal por que tanto esperávamos.
Trata-se de um livro literariamente primoroso como as biografias escritas por Camilo ou Agustina — mas mais profundo, pormenorizado e sobretudo intelectualmente honesto. É um livro historiograficamente impecável, mas sem se deixar tolher pelos temores das baias académicas que faz de tantos autores serem incapazes de dizer, em termos simples, simplesmente o que pensam. E é um livro que incorpora muito do atual debate teórico, como o faz Kenneth Maxwell, embora seja mais uma biografia no sentido tradicional do termo, factual e narrativo, na fluência do decurso de uma vida — e se leia enquanto tal.
Não é fácil navegar no grande mar da bibliografia sobre Pombal. Em mais de um quarto de século de percurso profissional e académico ligado aos estudos sobre Pombal, o século XVIII, e o iluminismo — embora, confessadamente, com muitos e largos desvios — desejei muitas vezes que houvesse uma biografia que fizesse o que este livro de Pedro Sena-Lino faz (…).
É, em resumo, um livro que recomendo sem reservas. Igualmente acessível e proveitoso a todos os tipos de leitores: aqueles que acham que sabem quase tudo, e quase nada, da vida e obra de Pombal.»

Do prefácio de Rui Tavares
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«Abre uma “caixa de Pandora” sobre uma das figuras mais importantes da História de Portugal.»
Visão

«Ao biografar o Marquês de Pombal, em “De Quase Nada a Quase Rei”, Pedro Sena-Lino revela um ditador hipocondríaco, absoluto bajulador do rei, que até um atentado forjou contra si próprio.»
João Paulo Sacadura, Rádio Observador

«A obra do escritor Pedro Sena-Lino é baseada em três anos de investigação da correspondência do Marquês e revela facetas desconhecidas do homem por trás desta figura histórica.»
Duarte Valente, RTP

«Através dos manuscritos do próprio – ofícios, notas e cartas – conta a vida e a ascensão de uma das grandes figuras portuguesas, um homem feito de grandezas e mesquinhezas.»
Pedro Miguel Ramalho, TVI

«A biografia escrita por Pedro Sena-Lino é uma bênção.»
Carlos Maria Bobone, Observador
«Nunca mais será o fidalgote de província, apontado enquanto entra silencioso mas grande nas salas reais como o de sangue sujo, bisneto de africana, neto de cristã-nova, neto e filho de falsários. Nunca mais será o raptor da mulher, o desterrado em quintas distantes entre parentela rústica, estrangeiro entre eles, exilado da sua família, os sonhos altos do pai e avô a ferverem-lhe o sangue contra a traição da mãe, acicatada pela ternura e simpatia do padrasto, a herança justiceira do trisavô a ombrear-lhe os gestos. Não será nem jamais nem de novo o representante de um rei beato, confusamente no mundo, o enviado cuja palavra não tem peso e cujas ameaças não trazem actos, que o fazem reviver uma adolescência longa onde não pôde ser nada. Nunca mais isso: agora já nem era Sebastião José, nome de baptismo mas também nome de troça, porque não era Dom, porque não era um título, porque era, a cada assinatura, a cada referência, a cada situação, apenas esse e isso: sete sílabas do que não era. Agora era Conde de Oeiras. Assim assinava: ou Oeiras só, a terra comprada e agigantada pelo tio, eco antigo do seu nome e obra ganho pelo seu trabalho e esforço: donde vinha, até a quem o devia, e quem se fizera por ele mesmo. A vitória total sobre o seu passado, até sobre a sua mãe, sobre os seus detractores. E faria dessa Oeiras um palácio como vira em Inglaterra e na Áustria (o palácio é, realmente, muito semelhante ao de Tarouca), celebração do que era e do que ele próprio fez. E ele fizera-se a ele mesmo.»

DETALHES DO PRODUTO

De Quase Nada a Quase Rei
ISBN: 9789896661755
Edição/reimpressão: 09-2020
Editor: Contraponto Editores
Código: 000007000107
Idioma: Português
Dimensões: 151 x 233 x 36 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 624
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > História > História de Portugal > Livros > Livros em Português > Literatura > Biografias
Pedro Sena-Lino (Lisboa, 1977) é poeta e ficcionista. Cresceu em Paço d’Arcos, à sombra do palácio do Marquês de Pombal. Fundou e dirigiu a Companhia do Eu (2005-2013), uma escola de escrita criativa. Doutorou-se em Literatura Portuguesa do Século XVII na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É professor assistente na Universidade de Gante (Bélgica) e vive em Bruxelas. Está a trabalhar no seu terceiro romance e numa segunda biografia de uma personagem portuguesa do século XVIII. Ainda escreve cartas.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK