Números que Contam Histórias

Números que Contam Histórias

ISBN:9789896661892
Edição/reimpressão:04-2019
Editor:Contraponto Editores
Código:000007000132
ver detalhes do produto
15,50€
12,40€
-20%
24H
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-20%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
15,50€
12,40€
COMPRAR
I20% DE DESCONTO IMEDIATO
IEm stock - Envio 24H
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

Os números estão muito mais próximos de nós do que julgamos e dominam o nosso quotidiano, mesmo que não gostemos de matemática. Mas este não é um livro de matemática, ainda que seja protagonizado por números. Confuso? Nem por isso. Este é, literalmente, um livro de cultura geral e os números são as personagens principais de histórias verídicas e cheias de informações e factos que o leitor provavelmente desconhece.

Sabia que, se o ser humano conseguisse utilizar o cérebro na capacidade máxima, armazenaria 4,7 mil milhões de livros?
E que os suínos em Espanha já são tantos que ultrapassam o número de cidadãos espanhóis?
Ou que um estagiário na Apple aufere 5300 euros, isto é, mais do que o nosso Presidente da República?
Ou ainda que a Rússia é tão grande que tem 11 fusos horários, o que faz com que de um lado do país haja habitantes que se sentam à mesa para jantar quando do outro há gente a despertar de uma noite de sono?
Se sonha com dias maiores, tem conhecimento de que, daqui a 6,7 milhões de anos, os dias do Planeta terão mais 1 segundo do que agora?
Fazia ideia de que as peças Lego vendidas num só ano dariam 5 vezes a volta à Terra?
Ou de que a fobia à sexta-feira 13 se chama «parascavedecatriafobia»?
Ou de que existem mais países filiados na FIFA do que na ONU?
E de que Portugal é o terceiro país mais pacífico do mundo?

3st3 p3qu3n0 t3xt0 s3rv3 4p3n45 p4r4 m05tr4r c0m0 4 no554 c4b3ç4 c0n53gu3 f4z3r c01545 1mpr3551on4ant35! R3p4r3: n0 1n1c10 p4r3c14 c0mpl1c4d0, m45 n35T4 L1nh4, 4 5u4 c4b3ç4 v41 d3c1fr4nd0 0 c0d1g0 qu453 4ut0m4t1c4M3nt3, 53M pr3c154r d3 p3n54r mu1t0, c3rt0? 3nt40 p0d3 0rgulh4r-53 d1550. 4 5u4 c4p4c1d4d3 m3r3c3! P4r4b3ns!

«Percebeu tudo à primeira? No princípio parece estranho, mas depois torna-se mais fácil. Números que contam histórias ou histórias que contam números? Que histórias podem contar essas entidades tão frias, impessoais e inquestionavelmente objetivas? Que vidas têm, afinal? Este livro é a demonstração inequívoca de como os números podem dizer muito mais do que a informação impressa pelos seus algarismos.»
Do prefácio de João Duque

«André Rodrigues não tortura os números, embora alguns lhe cheguem um pouco aturdidos. Trata-os com desvelo. Com inteligência e humor conta histórias à roda dos números que captam a atenção do leitor como antes captaram a atenção do radio-ouvinte. O seu livro ajudará a formar o que se chama «literacia matemática,» a capacidade de ler o mundo matematicamente.»
Do posfácio de Carlos Fiolhais
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Números que Contam Histórias
ISBN:9789896661892
Edição/reimpressão:04-2019
Editor:Contraponto Editores
Código:000007000132
Idioma:Português
Dimensões:150 x 234 x 17 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:224
Tipo de Produto:Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Outros > Sociologia > História > História em Geral
Sou 1 dos 19 milhões de indivíduos do mundo que nasceram a 15 de março. Ano? 1979. Naturalidade? Póvoa de Varzim.
O curioso é que o primeiro amigo que a vida me deu também veio ao mundo exatamente no mesmo dia, na mesma sala de partos, 15 minutos antes. Podia nunca mais vê-lo, mas mantivemos a ligação porque os nossos pais eram primos, ainda que afastados. Não encontrei, até hoje, um melhor exemplo para validar a tese de que os números contam histórias, desde o primeiro segundo.

A rádio entra na minha vida antes da escola, no tempo das «piratas», dos gira-discos de agulha, dos vinis e dos estúdios itinerantes. Um encanto que me fez passar horas no quarto a fazer rádio para a audiência imaginária que ouvia a minha música e as histórias mirabolantes. Do sonho todo, fiquei com os 50% de contar histórias. Da Rádio Onda Viva, voei até ao Primeiro de Janeiro, fiz escala no Diário de Notícias e aterrei há 16 anos na Renascença.

Mas como nem tudo é trabalho e nada substitui os afetos, o meu tempo livre é da família e dos amigos. Se um dia vier a conhecer o mundo todo, quero que seja com eles.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK