2020-06-26

Eduardo Madeira escreve o dicionário que estava a faltar à língua portuguesa

O Infame Dicionário Cómico de Língua Portuguesa marca o regresso aos livros, mais de dez anos depois, de um dos mais admirados e consensuais humoristas do país e servirá de base para o seu futuro espetáculo.

Partilhar:

Segundo Eduardo Madeira, uma das principais figuras do humor português da atualidade, esta é uma obra hedonista, sensual e descomprometida, que contém definições – lúdicas, imprecisas, pouco rigorosas, mordazes, maldosas, mesquinhas e torpes – de palavras do nosso léxico. Pretende divertir, provocar, estimular o pensamento, bulir com os nervos, ofender e, no fundo, provocar uma reação mais ou menos forte em quem, inconsequentemente, decidir lê-la. O Infame Dicionário Cómico de Língua Portuguesa chega às livrarias a 3 de julho, editado pela Contraponto, e que servirá de base ao futuro espetáculo do humorista.

 

Desprovido de qualquer cuidado na organização, o novo livro de Eduardo Madeira é o dicionário que estava a faltar à língua portuguesa. Resultado de um processo criativo onde houve displicência, preguiça e até descaramento. Por isso, não há nenhum rigor que se lhe possa apontar, nem mesmo em tribunal, e não se vislumbra qualquer aproximação voluntária à realidade.

 

No fundo, este livro é uma obra de ficção, que parte da lógica dos dicionários ditos sérios e a subverte totalmente.

 

Com apresentação de Nuno Markl, O Infame Dicionário Cómico de Língua Portuguesa vai ser lançado no dia 2 de julho, às 21h30, em direto no Instagram de Eduardo Madeira. O lançamento vai ter ainda a participação surpresa de outros convidados e venda exclusiva de exemplares autografados.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK